Superliga Masculina

  • Crédito: Reprodução/CBV

    Ao final do confronto, Giovane Gávio homenageou o levantador Ricardinho.

No retorno de Ricardinho, Sesc RJ bate Maringá

Levantador campeão olímpico, que voltou às quadras, foi homenageado com troféu VivaVôlei
Por: Redação, com assessoria/CBV - 13/02/2020 09:47:52
808 visualizações

O Sesc RJ alcançou sua 12ª vitória na Superliga masculina 2019/20 na noite da última quarta-feira (12), no Rio de Janeiro. Atuando no ginásio do Tijuca Tênis Clube, o time carioca venceu o Denk Academy Maringá Vôlei (PR) em sets diretos, em partida atrasada e válida pela terceira rodada do returno. As parciais foram de 25/12, 25/23 e 25/22.

Apesar do resultado positivo, o técnico Giovane Gávio não ficou completamente satisfeito com a apresentação de seus comandados. “Estamos sempre em busca de um momento melhor. Pode soar como desculpa, mas temos jogadores titulares lesionados. Mesmo assim, não podemos baixar de nível. Temos jogadores com qualidade técnica altíssima e hoje não jogamos o que podemos”, comentou Giovane Gávio. O Sesc RJ alcançou 35 pontos e segue na 4ª colocação na classificação.

Reconhecimento

O final da partida foi marcante. Diferente do habitual, quando a comissão técnica do time vencedor escolhe um atleta do seu grupo para premiar com o Troféu VivaVôlei, de melhor em quadra, o técnico Giovane Gávio preferiu homenagear o adversário. Ciente das dificuldades que o time paranaense vem enfrentando com a falta de repasse do patrocinador, o treinador da equipe carioca premiou o levantador Ricardinho.

“O Ricardo é um representante. O troféu é para toda a equipe, pelo que eles estão passando e segurando a onda de estar em uma situação muito difícil, com salário atrasado, poucos jogadores, atuando no limite e, mesmo assim, honrando e fazendo o melhor deles, lutando, se superando. É um gesto de reconhecimento porque esses atletas são importantes para todos nós”, declarou Giovane.

Do outro lado, o levantador Ricardinho, que voltou às quadras nesta noite depois de quase dois anos de aposentadoria justamente pela necessidade de ajudar o time, falou sobre a situação vivida pelos sete jogadores que se mantiveram no elenco paranaense.

“Primeiro, quero agradecer ao Giovane por essa homenagem. Eu recebi o troféu, mas é para todos esses guerreiros da nossa equipe. Nós vamos lutar até o último ponto, até não ter mais chance nenhuma dentro do campeonato. Só tenho a parabenizar e vou estar com esses jogadores até o final. Vamos nos unir cada vez mais para que não aconteça novamente o que vem acontecendo em Maringá”, disse o ídolo Ricardinho.

Apesar da derrota fora de casa, o Maringá Vôlei se sustenta como 8º colocado da Superliga masculina, com 17 pontos.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade